Newsletter Compreingressos

Seja o primeiro a conhecer nossa programação de espetáculos, novidades, promoções e ofertas exclusivas

seu estado

  • AC
  • AL
  • AP
  • AM
  • BA
  • CE
  • DF
  • ES
  • GO
  • MA
  • MT
  • MS
  • MG
  • PA
  • PB
  • PR
  • PE
  • PI
  • RJ
  • RN
  • RS
  • RO
  • RR
  • SC
  • SP
  • SE
  • TO
cadastrar
Cidade
Gênero
X
Tragicomédia 18 5h40 mim - com dois intervalos R$ 60,00

Bacantes

Teatro Oficina

Bixiga - São Paulo - SP

Endereço

Rua Jaceguaí, 520
Bixiga - São Paulo - SP

ver google maps

Compre pelo telefone de segunda a sábado das 11h às 19h

(11) 2122-4001

Temporada

Sábados e Domingos 18h - Sessão Especial 30/03 as 20h (Comemoração dos 80 anos do Zé Celso)

11 de Fevereiro a 02 de Abril de 2017

Ingressos

R$ 60,00

Promoção Itaucard

50% de desconto para clientes Itaucard.

Promoção pessoal e intransferível para o titular do cartão na compra de um ingresso inteiro. Válido somente para 1 apresentação do espetáculo, mediante pagamento com cartões participantes da promoção.

Descontos

50% para pessoas de idade igual ou superior a 60 anos.
50% para estudantes.

Valores

R$ 60,00 inteira
R$ 30,00 meia

Bacantes, Bakxai, é a última tragédia escrita por Eurípedes, o terceiro grande dramaturgo grego que, na velhice, é exilado na Macedônia em uma casa situada ao lado de um terreiro de velhas bacantes, onde escuta as celebrações dos ritos da origem do teatro, preservados por elas. O texto de Eurípedes é a documentação e reconstituição de um rito bem mais remoto que ele em 25 cantos e cinco episódios.
O rito vive a chegada de Dionyzio (Marcelo Drummond), filho de Zeus (Fred Steffen) e da mortal Semelle (Camila Mota), em sua cidade natal, TebaSP, que não o reconhece como Deus. Trava-se o embate entre o mortal Penteu (Fred Steffen), filho de Agave (Joana Medeiros), que, através de um golpe de estado, tomou o poder do avô, o Governador Kadmos (Ricardo Bittencourt e Sergio Siviero) e tenta proibir a realização do Teatro dos Ritos Báquicos oficiados por Dionyzio e o Coro de Sátiros e Bacantes nos morros da cidade.
Com músicas composta por Zé Celso e seu amadorismo de macaca de auditório da Rádio Nacional, incorporando o Teatro de Revista, Bacantes vai muito além do musical americano, e depois de 20 anos da estreia, a evolução musical do Coro do Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, desde as montagens de Os Sertões até as imersões nas obras de Villa Lobos e Paul Hindemith, preparou a companhia para a atuação nesta ópera eletrocandomblaica com a qualidade que lhe é devida. A música é executada ao vivo pelos coros & banda – Chicão (piano e teclados), Gui Calzavara (bateria e trompete), Mali Sampaio (baixo), Ito Alves (percussão), Moita (guitarra) e Letícia Coura (cavaquinho).

*Sinopse sob total responsabilidade da produção do evento.

Tragicomédia 18 5h40 mim - com dois intervalos

Bacantes

Teatro Oficina

Bixiga - São Paulo - SP

Bacantes, Bakxai, é a última tragédia escrita por Eurípedes, o terceiro grande dramaturgo grego que, na velhice, é exilado na Macedônia em uma casa situada ao lado de um terreiro de velhas bacantes, onde escuta as celebrações dos ritos da origem do teatro, preservados por elas. O texto de Eurípedes é a documentação e reconstituição de um rito bem mais remoto que ele em 25 cantos e cinco episódios.
O rito vive a chegada de Dionyzio (Marcelo Drummond), filho de Zeus (Fred Steffen) e da mortal Semelle (Camila Mota), em sua cidade natal, TebaSP, que não o reconhece como Deus. Trava-se o embate entre o mortal Penteu (Fred Steffen), filho de Agave (Joana Medeiros), que, através de um golpe de estado, tomou o poder do avô, o Governador Kadmos (Ricardo Bittencourt e Sergio Siviero) e tenta proibir a realização do Teatro dos Ritos Báquicos oficiados por Dionyzio e o Coro de Sátiros e Bacantes nos morros da cidade.
Com músicas composta por Zé Celso e seu amadorismo de macaca de auditório da Rádio Nacional, incorporando o Teatro de Revista, Bacantes vai muito além do musical americano, e depois de 20 anos da estreia, a evolução musical do Coro do Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, desde as montagens de Os Sertões até as imersões nas obras de Villa Lobos e Paul Hindemith, preparou a companhia para a atuação nesta ópera eletrocandomblaica com a qualidade que lhe é devida. A música é executada ao vivo pelos coros & banda – Chicão (piano e teclados), Gui Calzavara (bateria e trompete), Mali Sampaio (baixo), Ito Alves (percussão), Moita (guitarra) e Letícia Coura (cavaquinho).